Memória-previsão

Paradas ali, de fronte uma pra outra,

as criaturas queixavam-se da própria sorte:

A mais nova dizia: tenho inveja de você, Lua.

Você tá sempre aqui em cima, descansando.

Você tem todas as estrelas ao seu redor.

E você não precisa fazer mais nada.

A mais velha: pois eu te invejo, Fada.

Você ainda tem suas belas asas.

Você ainda não se prendeu à uma rotina.

Você ainda não precisa esconder uma das faces.

Quando dei por mim, pensei:

Acho melhor parar de reclamar do espelho.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s